Organização: Catarina Maul
Assessoria: Cristina Scudeze



quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Vencedores do III Concurso de Poesias Amor Demais

CRIS DAKINIS, de São Pedro da Aldeia/RJ, ganhou o troféu de 
1o. lugar!!






CONRADO AMSTALDEN, de Vinhedo/SP, também faturou o troféu!!




JUSSARA GODINHO é moradora de Caxias do Sul/RS e ganhou o troféu de 5o. lugar

Parabéns!!!

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

RESULTADO DO CONCURSO AMOR DEMAIS 2011

Vencedores do III Concurso de Poesias Amor Demais



CATEGORIA INFANTIL

1º. Lugar- Lara – E. M. Governador Marcello Alencar

2º. Lugar – Caio Garcia – E. M. Darcy Correa da Veiga

3º. Lugar- Vitória de Assis Rezende – E. M. Monsenhor João de Deus Rodrigues

4º. Lugar- Jennifer Camargo Fernandes – E. M. Santa Rita de Cássia

5º. Lugar – Leonardo de Oliveira Araújo – E. M. Gunnar Vingren de Petrópolis

6º. Lugar – Bruna Neves – E. M. Governador Marcello Alencar

7º. Lugar – Lavínia Agatha Mendes – E. M. Gunnar Vingren de Petrópolis

8º. Lugar- Gustavo Giffonni de Azevedo – E. Santa Rita de Cássia

MELHOR INTÉRPRETE: Lara



CATEGORIA JUVENIL

1º. Lugar- Felipe Medon – Petrópolis/RJ

2º. Lugar – Valquíria Marcelino Macedo – Escola Paroquial N. Sra. Da Glória

3º. Lugar- Larissa Perez Rezende - Escola Paroquial N. Sra. Da Glória

4º. Lugar- Miriã Ferreira da Silva – E. M. Governador Marcello Alencar

5º. Lugar – Mateus Matos – Sumaré/SP

MELHOR INTÉRPRETE: Felipe Medon



CATEGORIA EJA – PROJOVEM

1º. Lugar – Neide Aparecida – E. M. Gov. Marcello Alencar

2º. Lugar – Divina Barbosa da Silva – E. M. Johann Noel

3º. Lugar – Alan

4º. Lugar – texto coletivo – E. M. Amélia Antunes Rabello

MELHOR INTÉRPRETE: Divina Barbosa

CATEGORIA ADULTOS PETROPOLITANOS

1º. Lugar – Paulo Roberto Cunha

2º. Lugar- Lucília Garich Barenco

3º. Lugar- Sérgio Luiz Barcelos

4º. Lugar- Luiz Carlos Soares

5º. lugar – Luana Lagreca

MELHOR INTÉRPRETE: Vivian Teixeira



CATEGORIA ADULTOS DE OUTRAS CIDADES

1º. Lugar – Cris Dakinis – São Pedro da Aldeia / RJ

2º. Lugar- Conrado Luiz Amstalden – Vinhedo / SP

3º. Lugar- Marcos Gessinger – Realengo / RJ

4º. Lugar- Elias Araujo – Américo Brasiliense / SP

5º. lugar - Jussara Godinho – Caxias do Sul / RS



Caríssimos amigos,



Em primeiro lugar peço desculpas pelo atraso do resultado de nosso Concurso de Poesia Amor Demais, mas logo em seguida ao concurso comemoramos o Dia do Poeta e estávamos atolados com a organização do evento. E somar as notas de 124 poemas recebidos de outras cidades não fou tarefa fácil, como também não foi fácil aos jurados exercer o julgamento.

Ontem, depois de somar e finalizar, li com cuidado todos os poemas. Confesso que, sensivel pelo momento atual da poesia em minha vida e em minhas ações, meus olhos marejaram ao perceber o quanto de beleza há nos versos que muitos escreveram.

Agradeço demais pela confiança de todos em nossos concursos petropolitanos, a amizade dispensada à minha pessoa e o amor imenso para com a poesia.

Somos, com certeza, seres melhores porque somos POETAS.



Em tempo, gostaria de ressaltar que muitos poemas foram desclassificados por conta de não estarem dentro do tema exigido. Acho que às vezes a pressa em inscrever-se e o desejo de participar de muitos, fazem com que o desafio do tema seja esquecido. E fora do tema, infelizmente pode haver toda a perfeição, mas se desclassifica. Observem isso melhor nas próximas vezes.

É claro que vencer o concurso não é o mais importante. Creio ser mais importante os 3 mil acessos em nosso blog e o re-conhecimento de seus trabalhos e nomes.... Mas aos que gostam dos troféus lindos esculpidos pelo Marcelo Xavier, é bom estar no tema.

No mais, segue o resultado com meus agradecimentos, felicitações aos vencedores e minha eterna amizade.

Quem estiver no facebook, me encontre lá. Temos lá um grupo ativo, a Confraria da Poesia Informal, que considero a melhor tradução do que espero e acredito ser poesia.
PARABÉNS!!!

Catarina Maul

segunda-feira, 10 de outubro de 2011

OLHOS QUE BRILHAM

OLHOS QUE BRILHAM


Há olhos que brilhem mais que os de nossos filhos?

Que é para uma mãe

Acordar no meio na noite com

Um chorinho pedinte ?

Sair da cama cambaleando e

Deparar com um par de olhinhos lindos

Brilhando no escuro

Pedindo colinho, abraço, carinho

Pedindo proteção.

Olhos que brilham porque amam.

Brilham porque nos fazem amar.

Que nos fazem sentir força

Ter coragem, lutar, planejar

Construir, alcançar.

Olhos que fortalecem

Que engrandecem

Que enobrecem.

Olhos como os que a mim me fizeram

Grande, forte e vencedora

Olhos de Juliana e Ana Carolina

Os quatro olhos mais lindos que já vi.

(Rozilene Gonçalves)

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

OLHOS POR MEUS OLHOS

Olhos por meus olhos.


Os olhos podem ser

De várias cores,

Diversos tamanhos,

Sem odores.


Os olhos podem ser

Azuis da cor do céu,

Verdes da cor das matas,

Amarelos da cor do mel,

Castanhos da cor da Terra,

Pretos da cor da noite ou pantera.


Olhos traduzem sentimentos,

Tranquilos e serenos,

Lânguidos e sonolentos,

Arregalados e com medo, despertos,

Falso, debochado,

Cínico, sinistro, irado, disperso,

Frio e enciumado.


Nossos olhos preciosos nos inspiram,

Choram, dos perigos nos avisam,

Sensíveis, os meus, se apaixonaram,

Nos seus amores ficaram,

Agora só veem você!.

(Yara Regina Franco)





quarta-feira, 5 de outubro de 2011

DIAMANTE SEM JAÇA

DIAMANTE SEM JAÇA


Na sala tristonha esquecido retrato,

lembranças amargas dum tempo de infante.

Num canto a moldura sem brilho, sem trato,

não deixa saudade, nem foi relevante.

Mas eis que vibrante paixão me domina,

fechando a janela da fase sombria,

trazendo alegria e levando à retina,

a luz permanente do amor que irradia.

Então recomeço das flores surgindo,

momento de glória, de encanto maior.

Seu corpo chegando e meu peito sorrindo,

no amor verdadeiro que explode ao redor.

A luz dos seus olhos reflete nos meus,

bondade divina, jamais de esquecer.

Marcada pra sempre, não penso em adeus,

não quero, não deixo, você é meu ser!

Nas tardes ardentes, envolto em seus braços,

me vejo em seus olhos brilhantes que são.

Juntinhos, felizes, sentindo os compassos

de dois corações em total comunhão...

Ternura, delírio, nos corpos amantes,

eterna ventura que o tempo nos passa.

Caminhos seguros, na vida, constantes,

Tornou-se pra mim diamante sem jaça!...

(Luis Carlos Soares)

terça-feira, 4 de outubro de 2011

ENCONTRO

ENCONTRO


Quando é dia e há o encontro

Entre as luzes do olhar,

São centelhas, são fagulhas,

Como o sol encontra o mar.

Quando é noite e há o encontro

Entre as luzes do olhar,

São pupilas que dilatam,

Como o brilho do luar.

Noite ou dia, já não importa,

Sol e Lua a se encontrar.

Encontro raro e louco

Em que só vislumbro um pouco

Do tudo a nos esperar.

(Tatiana Alves)

SE NOS TEUS OLHOS EXISTE UM SOL

SE NOS TEUS OLHOS EXISTE UM SOL


Quando há luz nos olhos

Não me diga o quanto

Eu posso olhar


Se nos teus olhos

Existe um sol

Meu amor, deixe estar,


Como um caracol

Sem olhos

No tato eu me ajeito


E noturno e voraz

Seguirei pela vida

Viscoso e satisfeito

(Tallu Fernandes)

A BUSCA DO AMOR

A BUSCA DO AMOR


Cintilava ao nosso lado, a psico adaptação

Destas múltiplas fagulhas despetalando-se

Na força do nosso amor, transcendendo-se

Nas imaginativas cadências do nosso além

Indo através do ritmo inspirativo de nós.

Entretanto, de quando em quando, a lua se mostrava inteira.

Dentro das nossas inúmeras faces sobrepondo-se a do luar

Dividindo o teor do seu brilho, com o das estrelas...

Pois que há o brilho incomum, vindo brilhar na luz

Dos nossos olhares, transcendendo-nos nus,

Dentro das nossas exacerbadas paixões

Querendo beber da vida todo o Vinho

Na Sua intraduzível força vibrante,

Dentro do ego das nossas emoções!

Através do brilho das estrelas,

Ou noites quentes ou enluaradas

Vemos os Seus olhos fixos

Nos nossos. E nos revemos

Nos espelhos do nosso

Vivo e intenso Amor!

Então grito dentro de Nós,

Fugaz e muito intimamente,

Às nuvens que são adversas,

Que a quentura da nossa Vida

Sempre se fará muito Presente

Em todas as nossas noites de luar!

Se durante o dia fizer chuva ou sol,

Se a noite radiar-se brilhante e linda,

Dentro de uma ímpar magia, acalorada,

Tri dimensionado, amplificando sabores,

Os nossos Egos serão enaltecidos na Força

Deste descomunal Amor que nos vê, e vem.

Para dizer-nos que somos Tudo e além mais!

Seremos como os eternamente apaixonados

Por uma única, ímpar e tão incomum Força,

Avançando-se dentro do íntimo de nós mesmos.

Por sermos desbravadores desta belíssima busca:

- A do incompreensível desejo e nítido,

Embora não verbalizado:

- Na busca do Amor, dentro do nosso amor!

(Odenir Ferro)

POETINHA

POETINHA


E em face de teu enorme encanto

A vida rende-se apaixonada

Mais uma conquista – Sem espanto, olhos vedados

Boca eterna e paixão por ti poeta

Homem de rimas certas e eterna paixão

Entrando por teu coração brando

Por teu olhar inspirado em pulsante canção

Inovaste o tão conjugado verbo amar

Foram atos, canções e confissões latentes

Amigos, wisques e porres monumentais

Foi a vida acima de tudo e sob a força de amar

Das deusas venerando tua presença desejada

Da amizade muda e o constante parcerinho

Que ao contrário do que pensavas

Morria de dó, mas não de ti, dele mesmo

De privar-se, de privar-nos a vida de ti...

Então entra Vinícius, entra o poema!

Canta, gira e eterniza o verso sob meu olhar

Verso feito imperfeito a ti distante

E com desejo boêmio de quem sabe um dia

Aprender contigo mestre, a forma correta de realmente amar...

(Ronaldo Vieira)

ANJO

ANJO


Não encontro definição para tanta perfeição

Me faz ir alem meus pés saem do chão

Não posso entender vai alem da minha compreensão

Cuidado, carinho e ternura toca meu coração

Pele, desejo, química toque de paixão

Criatura de pura contradição mexe com a minha emoção

Me desarma me rouba toda e qualquer razão

Você é tão simples que se torna muito complexo

Pode ser um anjo mas cadê suas asas?

Para ser homem te sobra muita luz

Não quero entender deixa eu sonhar com você

Vamos andar nas nuvens brincar com as estrelas

Segura minha mão vamos seguir sem direção

Sua luz vem dissipando toda escuridão

Posso ver através dos seus olhos

Sou pura emoção você é meu coração

Simples olhares simples desejos

Luz divina selada com um beijo

Simples carinho, simples despertar

Sou sua e para sempre vou te amar

(Leticia Barcarolo)

AMOR DOS VERSOS MEUS

AMOR DOS VERSOS MEUS


“São demais os perigos desta vida...”

“Quando a luz dos olhos meus e,

a luz dos olhos teus resolvem se encontrar...”

Sinto atmosfera de amor no ar.

Se nossos olhares se encontram,

Palavras de amor ecoam,

Silentes de nós mesmos,

E assim amando somos um.

A esfera que brota ao redor,

Guarda o segredo do amor livre e proibido,

O amor que deixo nos versos meus,

Mas que na verdade são seus.

Há por certo aroma de amor no ar.

Nos dias vividos ao seu lado,

Sinto pulsar todo nosso amor partilhado,

E me deixo embriagar de amor e paixão.

Quero morrer de amor até o fim,

Viver desse amor dormente,

Versando seu amor intenso,

Adormeço nos braços desse amor sublime.

(Vania Souza)

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS


E a luz dos olhos teu

Resolverem se encontrar

A vastidão do universo

E a luz das estrelas

Iluminarão a vida

Nestas terras das Gerais

Que se expandirá no tempo

Então todos os caminhos irão se cingir de luz

O verde se tornará mais verde

O sol aquecerá as pessoas

À noite a luz torna o nosso amor

Uma chama eterna que inebria

O coração dos amantes

E Deus abençoará este terno olhar

Quando a luz os olhos meus

E a luz dos olhos teu

Mirarem a luz profunda de todas as coisas

A essência criadora

Do planeta Terra há de eclodir

E plantará sementes de paz

Em nós dois e em tudo

E já não haverá mais espaço para guerras

Para a fome, poluição do ar e das águas

E não haverá lugar para a miséria

Pro egoísmo, o ódio, orgulho e outras bestialidades humanas

Então geraremos vida plena

Como a plenitude dos raios do sol.

Quando a luz...

(Sebastião Cruz)

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS...

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS...



A luz dos olhos que conseguem se encontrar

Só os anjos conseguem explicar.

É transcendente, além do coração pungente

Ferido em um terreno indomável

Que unidos e transportados no encanto dessa luz

Se entregam de forma transcendente

Que não há explicação que faça entender

A beleza de um olhar ao se envolver.

Quando a luz dos olhos resolvem se encontrar,

O brilho da lua, do sol e das estrelas

Também não conseguem entender

Pois é encanto que tem e não tem tudo a ver.

É diálogo de namorado, despedida e reencontro.

É descoberta, renascimento de momento

Que se eterniza no tempo

Em um minuto da eternidade, sem lugar, cara ou idade.

Luz que se encontram, é providência e não coincidência

É interior extrapolando, rompendo mundos desconhecidos

Enxergando no reflexo do outro olhar,

A verdade que conseguiu aflorar

Mas que habita somente dentro do ser lindo

Que cada um consegue ser, que só acontece

Porque a verdade que vem desse olhar

Jamais conseguiria se esconder.

E, na doçura que se encerra

Na alma deste poeta

Que ao perceber o lado obscuro do homem,

Descobriu o mistério, a paixão e a morte,

Que vive em paz com sua cidade

Pois abandona-se nos braços da paixão

Encarando a vida

Como obra de ficção.

(Adesina Mantovani)

VOCÊ

VOCÊ


Você é a palavra mais doce.

É talvez tão precoce

Que o poeta jamais escreveu


Você, é a força é a parte

A beleza da arte

Que o estandarte esqueceu


Você é o beijo de amor

de carinho, de ardor

de calor que minha boca não deu


Você é a vida, é a morte

É o azar, é a sorte

Meu grito, meu tudo, sou seu


Você é a chama que lume

Na verdade que assume

Um amor que tão forte nasceu


Você é a gota do orvalho

O sereno em um galho

Que na noite cresceu


Você é o abraço e o calor,

É o carinho e o sabor,

do amor que meu peito escondeu!


Você é o espinho, é a rosa

É o verso é a prosa

E grito mais forte sou seu!

(Alvaro Caetano)


PROMESSA

PROMESSA


Descubra sem pressa

a cor do meu abraço,

o sabor do sorriso,

a graça de algumas tristezas que carrego comigo.

Depois adentre o salão grená,

o interior dos meus pecados,

o íntimo dos desejos,

minha lagoa doce e meu olhar salgado.

Então calcule

com quantos paus eu monto minha jangada,

que flores habitam meu jardim,

e, por fim,

qual o valor desses mistérios.

Siga passo a passo

até mim,

retire a venda e entenda

a trajetória.

Encontre-me no lado direito da estrada.

Agora, sim, eu posso ser

tua namorada.

(Tatiana Druck)

A MAÇÃ E A POESIA

A MAÇÃ E A POESIA


Maçã foi só maçã quando convim.

Olhei-a ontem qual só olhasse um fruto.

Eu fui tão mau, com um pensamento enxuto,

Adormeci a poesia em mim.


Então a fiz prestar-se, num minuto,

A ter seu mais inesperado fim.

Pobre maçã, que anteontem vi o carmim

- Calíope, instinto, amor... Foi só um soluto...


Mas eu, que até do breu já trouxe o dia,

Como da aurora, em facho, a escuridão,

Hoje acordei: “Maçã, não foste em vão!


No coração tu foste concebida,

E a minha mão que desembota a vida,

O peito me abre... És musa! És poesia!”

(Smiley Castelo Branco)

DESTINO

DESTINO


Ante a nuvem de concreto

Que a cada dia me isola

Um chamado bem de perto

E uma coincidência que me assombra

Será o tal destino

Ou um deus que assim define

As razões de um acaso?

Quando a luz dos olhos meus

E a luz dos olhos teus

Resolvem se encontrar

Vai ser num bar ou numa esquina

E não há sol, não há neblina

Que impeça o que está escrito

Se a sina é o amor

Nada pode fracassar.


(Evandro Aléssio)

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

NO ENCONTRO DE NÓS DOIS

NO ENCONTRO DE NÓS DOIS


No encontro de nós dois

Despi-me das armaduras e me revesti de desapegos

Não te queria.

Pra que te ter?

No encontro de nós dois era importante que continuássemos dois

Não encontramos pedaços perdidos de nós

Encontramos inteiros que podemos amar.

No encontro de nós dois

Abriu-se uma fenda na paisagem daquele por de sol

Não te queria em despedidas nem mesmo em reencontros

Cada amanhecer me pertencia e eu te oferecia em bandejas,

Ainda na cama, os primeiros raios da luz.

No encontro de nós dois

Teve lua, teares de estrelas, e convite pra ser feliz.

Beijos com um só riso, e me aconcheguei logo, em quase nada.

E que era tudo.

Me desfiz em lágrimas, e colhi-as nas mãos,

Só pra jogar pro alto e vê-las se transformando em brilhos.

No encontro de nós dois

Grandes cavalos alados e pequenas gotas de vento

Transformavam cada palavra em vestimentas de ternura.

Foi assim que se deu em mágicas, aventuras, e sonhos

O encontro de nós dois.

Jaak Bosmans

LIRA

LIRA


Vós andais desiludidos co’ amor,

Pensais que nele não há Felicidade?

Não deixeis a desilusão propor

O que não existe de verdade.

O amor é fogo, é ferida latente,

Que pega de surpresa e arremessa

Contra ou a favor de algum lábio ardente,

Que vos amarra forte e bem de pressa.

Mas sejais pacientes na espera,

Pois qualquer dia o amor vos pega

Então em vós queimará esta quimera

Que alucina e prende quem se entrega a

Tentar tirar da cabeça, o que não

Sai, de forma alguma, do coração.

(Fabiana de Oliveira Ribeiro)

PERDIÇÃO

PERDIÇÃO


Na luz dos olhos teus

minha alma se incendeia

─ sem salvação.

Há desespero, há paixão.

Devoção.

Quando teu olhar me ilumina

é que sinto de verdade a vida,

sem o tédio das tardes tristes,

sem os limites do juízo.

Contemplação.

O coração atravessado na garganta

bate descompassado

na esperança

de não ser notado.

Vibração.

Tudo é importante,

só você é necessário.

Quero cantar e dançar

e fazer de todo dia meu aniversário.

Comemoração.

Um fio de loucura

suave ─ mas estrutural ─

tece a ideia de que só com você

posso ser feliz.

Condenação.

Assim, perdida, é que me encontro,

na luz do teu olhar.

E não há nisso mal nenhum:

nem ilusão, nem solidão,

nem frases feitas,

nem salvação.

(Ranúzia Felix)

SOBRE A LUZ DOS NOSSOS OLHOS

SOBRE A LUZ DOS NOSSOS OLHOS

 

eu não sei direito se a luz dos seus olhos

vão clarear minha poesia em forma de sonetos.

pois, meus olhos estão de lagrimas tão cheios,

que do teu amor provar outra vez tenho medo.


e você, meu amor, agora me maltrata e diz;

que a luz dos olhos meus, não mais te conquistará

tão pouco, fará você mais ou menos feliz.

porém, eu apaixonado, peço ao teu coração, para


ver neste meu poema o que quero lhe dizer.

encare de cara a verdade do que pra você posso ser.

e se entregue agora e sempre aos braços meus.


aproveite esta luz linda desta lua cheia

para ver nosso amor ser abençoado por deus.

pois é ele que em nossos corações a paz semeia...

(Laudison da Silva)

EM SOL, ARADO

EM SOL, ARADO


Fora de ti

e com fome

preciso comer-me,

depois da luz

que a pele adora

pelo brilho alcançado

preciso rachar-me,

depois da luz

escureço,

o negro come os restos de vermelho.

Carrega consigo

o que a pele adora.

Me olhas. Eu,

de olhos fechados,

posso ainda ver o vermelho de minhas pálpebras.

O fecho de seus olhos gigantes

me estremece... me incendeia

internamente pois, foge o que a pele adora

Escurece.

Sol

foi-se embora.

(Leonardo Araujo Oliveira)

CERTO OLHAR

CERTO OLHAR


Nada diz tanto, como o brilho do teu olhar

Fala por si, reflete tanto sentimento...

Antes mesmo de tentar escondê-lo, inútil disfarçar...

Pouco se pode esconder de um outro olhar atento.


Quantas vezes me fiz impassível?

Outras tantas fingi não ver, assim, pareciam intermináveis

Os segundos dos meus olhos estáticos, frente aos teus belos olhos admiráveis

Donos incontestáveis de um olhar mais que doce...Sensível.


Quanto de ti carrego comigo agora?

Ou quanto de ti compreendeu tal engenho?

Se são para mim teus olhos, muito... Do pouco que te tenho.


Porém, enquanto os meus olhos vagarem à procura dos teus

Ou das tantas formas em que te vejo,

Atento e louco esperarei, por realizar tamanho desejo.

(Paulo Roberto Cunha)

UM ANJO

UM ANJO


Eu percebi naquela noite fria

Que o nosso amor tinha chegado ao fim

Que a nossa vida cheia de alegria

Era tão falsa quanto um folhetim


Resignado eu engoli meu pranto

Fechei a mala sem nenhum lamento

Desalentado procurei um canto

Para viver com o meu sofrimento


Mas o destino sempre imprevisível

Por sua conta fez o seu arranjo

Um belo dia com mão invisível

No meu caminho colocou um anjo


Que me olhou de um jeito tão terno

E que sorriu com tanto calor

Que repente já não era inverno

Que de repente me perdi de amor.


(Alberto Antunes Esteves)

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

ECLIPSE ESTELAR...

ECLIPSE ESTELAR...


O meu olhar no Coliseu

junto do olhar teu, fogo a flamejar!...

Quero olhos como os teus

junto aos olhos meus

para um eclipse começar...

Mas a luz dos olhos meus,

resistem aos olhos teus,

só pra instigar teus abraços...

E a luz dos teus olhos, Zeus,

é um imã a puxar os olhos meus ao Espaço...

O fogo nasce do teu olhar!

Olhos de um deus,

que quando encontra os olhos meus

é impossivel controlar!

... Centelha de fogo, apogeu, um eclipse estelar!

Que calor dá o encontro do nosso olhar!

Cola teus olhos nos meus,

e me leva a flutuar...

...num cometa sem adeus...

Pela luz dos olhos teus deixo-me guiar!..

Chama de paz e amar, o nosso olhar...

Sol que seduz...Chama dos sonhos meus!

Encontro de Sol e Luar, uma explosão no ar!

...Ah, a luz dos olhos meus na luz dos olhos teus

quando resolvem se encontrar!

(Luana Lagreca)

OLHOS TORTOS

OLHOS TORTOS


Malditos olhos meus

que sobressaltam meu coração

sempre que miram os teus.

(Francisco Ferreira)

A MAIOR SOLIDÃO É A DO SER QUE NÃO AMA

A MAIOR SOLIDÃO É A DO SER QUE NÃO AMA


Sem amor a vida fica triste

Cinza, incolor

O amanhã não tem graça

Uma doença sem doutor...

Nós nascemos sozinhos

Morremos só

O amanhã é irreal

O amor é fundamental

O mundo se acabando

Sentimentos, matando

Órfãos do calor

Ah, como é raro o amor

O amor, o romantismo

Desabrochada pelo repentino

A sensação do amor

É como o despertar de uma flor...

(Matheus Matos)

AO SEU CIO ENTÃO

AO SEU CIO ENTÃO


Eis que todos os desvios, os meus desvarios, tela em furta cor.

Rosa leve prosa e breve, neve branca Wave.

Tom do meu amor.

Toda lágrima dos olhos posta nos velórios, seriam em vão.

E meu cio como rio, correndo vazio.

Ao seu cio então.

Ao luar que beija tudo, forte orgasmo mudo casca de romã.

Rara palha seca nobre, cortina de pobre.

Que cobre a manhã.

Em seus olhos tanta luz em meio a minha cruz em meu ombro a sangrar.

Seja eterno enquanto dure, prometa não jure.

Tanto amor me dar.

E quando peso da vida abrir a ferida do tempo a clamar.

Já seremos Sol e Lua clara noite nua

Aos olhos do mar.

(Walmir Pimentel)

OLHARES DIFUSOS

OLHARES DIFUSOS


Teus olhos

Se põem nos meus

E uma luz luminosa

Alumia

O canto escuro

Dos nossos desejos

Que arregala seus olhos

E cospe fogo

E desencadeia

O canto do pássaro negro

Que encanta o ouvido

E repete atrevido

A sensação dourada

Que vem lenta

Quando o sol se põe

E eu embriagada de emoção

Sonolenta e sedenta

Deixo o coração falar

E ele quase arrebenta

E experimenta

O la la ri la lá

da luz do teu olhar

(Jussára Godinho)

SEGREDOS

SEGREDOS


Quando o meu olho encontra a tua face, Ou quando o teu vem fitar-me o rosto,

Eu me desvio, mas com desgosto,

Por não querer que isso assim se passe.

Que não desvio se, cauto, o vulto,

E o meu olhar do teu não separo,

Então com um impasse eu me deparo:

“O que revelo, o quanto deixo oculto?”

Carrego o medo que me penetre,

Adentro os olhos tua visão,

Vendo a minh’ alma o que me impetre,

E os meus medos e minha paixão.

Por isso – eu guardo esse segredo –,

Tendo o receio de desvelar-te

Meus sentimentos, minha ima arte,

Que tanto oculto, é que eu me arredo.

E pensas tu que te ignoro?!

Como te enganas nesse enredo!

Em ti refrato, mas te adoro,

De um desengano, só, tenho medo!

Perdoe, pois, esse inocente,

Por essa arcana hesitação,

E não me julgues cruel, mas tente

Ler, no silêncio, meu coração!

(Nadeem Tahir)

NOSSO MUNDO

NOSSO MUNDO


Quando a luz dos olhos meus

e a luz dos olhos teus resolvem se encontrar

cria-se um mundo de girassóis no ar,

no qual, para o nosso olhar, não existe adeus.

Os pássaros, neste mundo, são mansos

e trazem a eternidade consigo.

O céu azul celeste é um abrigo

para nossas alegrias e descansos.

Em cada ponta desse paraíso,

existe um farol

para iluminar a vida e até mesmo o sol,

na procura da felicidade perdida.

Os teus olhos nos meus

são histórias antigas a se reencontrar

e reinventar um lugar

para que nosso amor não adormeça.

Nesse nosso mundo, vivem para sempre

estrelas que caem no mar.

E nós, pescadores, mergulhamos nas águas

para a pesca de milagres incandescentes.

Guardo em sonhos meus

cada instante deste outro mundo

de girassóis, de faróis, de mergulhos profundos...

Mundo colorido pela luz dos olhos teus.

(Ranuzia Mello)

A MOÇA PETRIFICADA

A MOÇA PETRIFICADA



Era só mais uma que se isola do mundo

Ela simplesmente não sentia

Ignorava todos e tudo, se fazia alheia.


A menina a paquerava e ela ignorava

O menino a queria e ela esnobava

Vivia só, numa auto suficiência

Que era uma tortura diária.


Mas ela não sabia que se torturava,

Essa mulher arrogante e indiferente

Ignorava o amor e amizade


Tomada pelo individualismo da sociedade

Não tolerava o choro da criança,

Não gostava das noitadas adolescentes

Odiava a beleza dos amores duradouros.


Era uma louca desvairada e triste

Não sabia o que era amar,

Mas sabia do amor e o recusava


Trabalhava, dormia, comia, se masturbava

Sempre trancada em si

Ela não ria, não chorava, não sofria.


Tinha medo de sentir, de gostar ...


Há quem diga que outrora ela amou,

Outros a chamam de coitada,

Mas ela repudia a compaixão dos pobres.


Ela é gélida

Tem uma beleza petrificada e insensível

Dói olhar para ela.


A criança pergunta pro avô: - Quem é essa moça, vovô ?

E o avô, sentido, responde: - É uma doida

Que "semeia pedras do alto de sua fria e desolada torre".

(Wliana Araújo)

TEU OLHAR

TEU OLHAR


Teu olhar

para mim

é o espelho de tua alma

que me revela

em certos momentos

uma doce cumplicidade

uma grande afinidade

um turbilhão de sentimentos

que só quem quer viver intensamente

é capaz de transmitir.

Teu olhar

tem o calor do sol

o brilho do luar

a transparência do mar

a mansidão das planícies

onde repousam os sonhos

daqueles que te amam.

(Isabel Cristina Silva Vargas)

ALÉM DA REALIDADE

ALÉM DA REALIDADE


"Quando a luz dos olhos meus

e a luz dos olhos teus

resolvem se encontrar..."


Passado desabrocha

tristeza despista

fico a relembrar.


Vem a insegurança

como jovem criança

que começa a andar.


A curiosidade chega

vinda de mansinho

sem se apressar.


Busca o sagrado ainda

trocas sem retroca

e perde sem jogar.


Disfarça no papier mache

na música e na viola

poesia e blá blá blá.


E no contemplar a vida

Fecham-se as feridas,

acha a alegria que veio buscar.


Então resolvem se encontrar

a luz dos olhos teus

com a luz dos olhos meus


Abrem-se os grilões

para descobrir os teus

sonhos e os meus.

(Juçara Valverde)

CORAÇÃO DOS AMANTES

CORAÇÃO DOS AMANTES



E se apertar o peito amante

A ponto de aperceber-se miúdo

Encrespado de rutilantes veias

Sucumbido de palpitâncias mil


Revelará esta fórmula mágica purpura

Qual chamamos "amor"

Semelhante um vírus que s'espalha

E verá-se acometido de um feliz orgasmo


Desejará afogar-te neste vale de flores

Perfumar-se com o olor da amada

Embriagar-se nas pétalas róseas de calor


Até que o encanto termine

E a poção (sem fórmula)

Não faça mais efeito

Até que os corações s'eternizem

Assim são os corações dos amantes.

(Dimythryus)




VINICIANDO

VINICIANDO




No caminho percorrido entre meu desejo e teu olhar, há um momento explosivo.

A magia da paixão que transcende o intangível.

O momento de tesão com viés de inacessível.

Uma curva do seio, um pecado no meio.

Imagem de um beijo abrasivo.

No momento que antecede o momento,

nem sei por quanto tempo, mas tento entender o incompreensível

no verde-mar de florianópolis que envolve teu olhar.

E as ondas...

Ah, quantas ondas que anseio navegar

na tua língua, viagem tão linda, impossível adiar.

Fecho os olhos e vejo tudo.

Um silêncio indecente contando coisas pra gente se arrepiar

e morrer de viver tão perdido no âmago do teu olhar.

Beijo na boca , os olhos cerram para ver melhor o infinito sabor .

As mãos se perdem entre tantos montes e túneis, arrepios e gemidos destorcidos.

Um abraço apertado deslizando pelo suor.

A música viniciando na luz do teu olhar,

tua roupa no chão da sala

e a luz dos olhos meus enfrentando a fúria dos deuses

que morrem de inveja ao perceber que assim, exatamente assim,

somente nós podemos amar...

(Sergio Luiz Barcelos)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR...

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR...


Na paz de um anoitecer...

De olhos nos olhos

até, um adormecer

desdobrar de loucos sonhos ao amanhecer...

Sussurros da noite,nas brisas olorosas

e música a perpassar...

Noturnos devaneios, anseios,

no afagar...Mística incursão

aos labirintos da memória, um recriar viver, toda a emoção

de uma nova estória. Gaivotas ao céu a planar...

E níveas ondas, em um verde mar!

À luz de novo sentimento

ao se enovelarem, retalhos dos sonhos

de um louco imaginar...

Ao acordar, para o baile da vida,

quando do tudo, ou nada é uma despedida...

Há sempre um constatar,

que o amor partido, vai em cavalgada, às poeiras do tempo.

Na luz dos olhos teus à ternura dos meus,

um enlevado encantar!

Às ilusões do pensamento

que em barquinhos de papel

o evocar de meus desejos a desoras a sussurrar...

Saudosos, os meus olhos que sem despudor,

choram pelos teus em místico dolor...

E, na ausência deste perdido amor, de antes,

das inebriantes, noites tão amantes

um não mais pensar,

e nos acordes, do desamor

um simples deletar...

(Estrela sem céu)

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR ...

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR ...


Abro os olhos e, no escuro,

Busco algo que me falta...

Serão dias de brilho e sol,

De trabalho consagrado,

De pura ação?

Olho em torno e vejo sombras

Que delineiam montes em roupas jogadas,

Marcas de desejos de suor e alma...

Ouço a suave brisa

Do teu respirar,

Vejo-te em sono profundo...

Admiro o mexer dos teus cílios,

Faço uma oração em teu ouvido...

E, num instante, fecho meus olhos

E me aconchego a ti,

Pois já sei o que buscava

São teus olhos, tão cheios de brilho

São meus desejos, repletos de sol

E, no amanhecer,

Quando o tempo nos chamar,

Nossos olhos se abrirão

Então, haverá festa,

Haverá dança, um celebrar,

Pois quando a luz dos olhos teus

E luz dos olhos meus

Resolvem se encontrar,

Tudo é vida,

Tudo é amar!

(Eunice da Silva)

ILUSÃO

ILUSÃO


Deposito toda minha ilusão no amor

e o meu sonho se faz luz.

Minha inspiração encontra ecos na paixão

e o meu sonho se ilumina e seduz.

Por mais que se diga

que o eterno não seja sempre

e por mais que eu creia

e veja o amor em castelos de areia

não perco o encanto. Acredito.

O amor nasce no instante do olhar

reflete a recíproca do pensar

que escondidamente diz querer casar.

Porque sem ilusão

não há brilho, não há luz.

Porque sem sonhar

não hei de te encontrar.

(Sueli Vasconcelos)

DOCE BEIJO AZUL

DOCE BEIJO AZUL.


Que olhos me deste , oh!mar,

para iluminar meus desejos,

caminhos esquecidos nas ruas

a esperar o doce beijo.


Empresta o colorido

mais azul céu

para inundar este segredo

e que está a esperar

o azul do seu doce beijo.


É mar, é céu,

e o encanto

a bailar neste segredo

que pensa em se banhar

com o beijo do seu olhar.


Está nublado, escondido

apaixonado igual ao mar,

aguarda poder molhar

no azul do beijo

do seu olhar.

 
(Valéria Barbosa)

INCONTIDO

INCONTIDO



O desejo contido pelas lembranças

e o breve roçar de pele em esperanças,

é o você e o eu agora distantes

refugiados em outros vilarejos

que se cruzam nessa encruzilhada do medo.


O balançar de seus quadris

e aquele olhar,

que fulmina meu peito

estão cada vez melhores,

mais sedutores e ferinos.


Corro para te encontrar perdida

agora, as tantas da madrugada,

enquanto eles dormem.

Nosso roçar de bocas acordam

o meus e seus desejos incontidos.


As unhas rasgam minhas feridas

e minhas vontades antigas

e meus dedos tocam-te

como outros dedos jamais tocarão.


Balança doce menina enquanto pode,

geme e grita ao meus ouvidos

enquanto eles, longe, dormem.


(Augusto Biffi)

DANÇANDO E ENCONTRANDO

DANÇANDO E ENCONTRANDO – LOUCURAS SÃS


Querendo fazer das dores e suas marcas algo concreto.

Buscando uma janela que seja, uma porta, uma fresta.

Preciso de ar, preciso olhar lá fora.

Preciso ver que nada acabou.

Que chances podem ser colhidas

como flores à beira do caminho

Meio que dançando, num ritmo desconhecido mas envolvente.

Parece que um som me guia, me transporta.

Um ar fresco me acalma o temor

Não é tarde, não, não é!

Pareço falar com tanta gente

Pareço me comunicar descontroladamente

Alguém me ouça

Não é tarde, não, não é!

Tenho noção da fantasia

Mas o que seria de mim sem o sonho?

Sem o devaneio?

Sem a esperança?

Chega de só razão, razão e razão

Chega de ser um “animal-máquina”. Não é mesmo Descartes?

Chega de ser José. E agora? E agora? Não é mesmo Drummond?

Pra que tanta métrica não é Camões?

Pra que tanta preocupação com a forma, meus amigos parnasianos?

Se os símbolos podem me ajudar a chegar ao desconhecido

E por sinal esse desconhecido sou eu mesmo.

Os labirintos estão aí

Senhas, signos, códigos

Não é, Édipo? Alice?

Vou dançando, vou de olhos fechados

Me chamem de insano, me chamem do que melhor o ego de vocês ficar saturado de orgulho por terem encontrado uma definição perfeita pra meu estado crônico-deliroso

Não é absinto, não é haxixe, viu ultrarromânticos?

Não é tuberculose, não é a morte.

É a busca, é o encontro.

Vejam, vejam só!

Não é tarde! Não é tarde!

Estou solto. Preso talvez a mim mesmo.

Mas solto para encontrar a chave

E abrir-me, e dizer-me livre.

Solto, mas em busca de liberdade

Preso, mas ciente do ciclo da vida.

Como teclando um piano vou comunicando infinitamente

Vou dançando, vou falando

Vou silenciando, vou ouvindo

Vou decifrando, vou me encontrando

Elementos, cores, símbolos, realidades vão me guiando

Não é tarde! Não, não é!

É o que tenho a dizer

Aos crédulos e incrédulos

Aos tripulantes e aos que acenam

Aos simpatizantes e aos críticos

Aos livres, aos libertos.

Ao mundo. A mim. A você. A nós.

Não é tarde! Não, não é!

(Fernandes Pereira)

O CASTANHO DOS SEUS OLHOS

O CASTANHO DOS SEUS OLHOS


O castanho dos seus olhos

Não é um castanho qualquer

E não é qualquer olho castanho

Que é castanho como o seu castanho é.

Seus castanhos são cor de paisagem

A hipnose da contemplação

E suspendem o lugar e o momento

E arrebatam a minha visão.

Se o castanho se banha no sol

É covarde com o resto dos tons

São castanhos ao sol os teus olhos

E o resto dos olhos apenas marrons.

Se o castanho reluz numa lágrima

É brilhante e salgado o sabor

Bate o meu coração afobado

E com o zelo de quem leva o andor.

(Leonardo Ortegal)

‘MESA PARA DOIS’


‘MESA PARA DOIS’

Seu coração é quente

tô crente que vou me derreter

feito manteiga barata

feito batata souté

você me passa a faca

me esparrama pelo pão

depois me cobre de beijo

de queijo parmesão

joga salsinha e carne de sol

nem ta ai pro meu colesterol

Seu coração tá doente

nem sente minha depressão

deprimida feito um caroço

espremida feito um limão

você me derrama o leite

ferve a água no fogão

depois me descasca a roupa

me deixa louca pelo chão

Tira a calcinha e o sutiã

e deixa em banho-maria até de manhã

Teu coração

um croissant

essa canção

e um bom café

Meu coração

um bom baião

depois colchão

com seu chulé.

(Raphael Amoroso Martinez)

A VIDA DE CRIANÇA . . .

A VIDA DE CRIANÇA . . .


É cheia de brincadeiras.

A vida de criança é

alegria

Nossos pais falam que

somos a luz,

Mas muitas vezes é porque

gostamos de cores

como azuis.

Crianças que são francas

têm esperanças e

gostam muito da cor branca.

A vida de criança é

colorida.

Ela é feliz e cheia de doces.

Pena que nem para todas

as crianças

a vida é tão bela assim!

(Abelly Maris / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

A VIDA É BOA.

A VIDA É BOA.


Vida de criança

é muito boa,

pois eu sou

uma delas.

Eu gosto muito

da vida de criança.

Pulo corda,

gosto de andar de carro,

brinco de pique tá.

Coisas que toda criança

Gosta de fazer.

Já o adulto

tem que trabalhar

para em casa

o dinheiro

colocar.

E também, de nós crianças,

Cuidar e educar.

Se eles pudessem

ao tempo voltar

Com certeza,

a vida de criança

gostariam

de retornar.

Eu nunca vou esquecer

A minha vida de criança.

(Michael Palhares / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

MINHA VIDA DE MENINA

MINHA VIDA DE MENINA


Minha vida é ótima.

Às vezes na escola

brinco,

pulo

e jogo bola.

Chego em casa,

faço o dever

e depois

vou assistir TV.

Na hora de dormir

mamãe conta histórias,

mas cresci

e percebi

como a vida

passa

tão rápido.

Temos que sempre

A Deus

agradecer.

Como a vida é linda!

Vida,

obrigada por me deixar crescer

e com você

sempre feliz

viver!

(Caroline da Costa / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

VIDA DE CRIANÇA É BOA

VIDA DE CRIANÇA É BOA


A vida de criança,

claro que é boa.

A vida de adulto

é claro que é ruim.

_ Ué, por quê?

Ainda me perguntam!

A vida de adulto,

é só trabalho e trabalho.

E a vida de criança?

essa sim,

é só diversão,

estudo,

brincadeiras

e muita emoção.

Por isso eu digo

E repito:

_ Vida de criança

é boa de viver.

(Thalia de Almeida / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

É CLARO QUE VIDA É BOA...

É CLARO QUE VIDA É BOA...


Boa é a vida

enquanto somos crianças,

mesmo que não tenhamos

tudo o que queremos.

Mas vamos crescendo

e a vida vai se transformando.

A vida é muito boa

na adolescência.

Saímos com os colegas

e nos divertimos

pra valer.

Mas quem acha que a vida de adolescente

é boa

ainda falta muito pra

viver.

A vida de adulto

também é boa.

Vida de trabalho

e conquistas.

É por isso que eu

afirmo:

Claro que a vida é boa!

(Valesca Pereira / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

É CLARO QUE VIDA É BOA...

É claro que a vida é boa...


É claro que a vida é boa.

E a gente não vai deixar

a vida passar

à toa,

porque a hora é

boa,

de brincar

e também aproveitar

tudo o que a vida tem

a nos ofertar.

O nosso tempo aqui

logo, logo

vai passar

e a velhice também

vai chegar.

Muitas coisas

de criança

vamos ter que deixar.

(Wendel / Colégio Gunnar Vingren)

VIDA BOA

VIDA BOA


É claro que a vida é boa...

e por que não seria?

A cada amanhecer

é um novo

e belo dia.

A vida sempre me diz:

_ Sorria!

(Leonardo de Oliveira Araújo / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

DOCE VIDA DE CRIANÇA

DOCE VIDA DE CRIANÇA


Doce vida,

vida doce

Doce vida de criança!

Brinca, brinca

Às vezes

Chora, chora.

Ora boa,

Ora ruim,

mas a vida

é assim

tão divertida

quanto um trampolim.

(Pedro Henrique de Oliveira / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

A VIDA É MARAVILHOSA

A VIDA É MARAVILHOSA


A vida é tão boa

porque nela podemos nos alegrar.

A vida a cada dia

é um renascer

porque nela lembranças vão acontecer.

A vida é para se aproveitar

porque nela podemos aprender

a amar.

O amor é tão colorido

e ele faz parte da vida.

Ela tem um pouco de mel

e a vida é tão doce

que parece

um pedaço do céu.

(Lavínia Agatha / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

A VIDA É DE ADULTO, MAS CLARO QUE É BOA

A VIDA É DE ADULTO,


MAS CLARO QUE É BOA.

A vida de um adulto

é dura de doer.

Durante o dia

trabalha com alegria.

E quando chega a noite

vai para casa descansar

para no outro

recomeçar.

E assim a vida segue

sem tropeçar.

Eu vou te falar:

- A vida é de adulto,

mas claro que é boa

pra “ danar”.

(Breno Carvalho Tardelli / Colégio Gunnar Vingren de Petrópolis)

EU TE AMO

EU TE AMO


“Quando a luz dos olhos meus

E a luz dos olhos teus

Resolvem se encontrar”

Eu digo que te amo

E começo a versejar...

Eu te amo mansamente

Como as águas que correm

Para o leito dos rios:

Serenas,

Decididas e

Definidas.

Eu te amo na mesma

Proporção do vento

Que embala, com suavidade,

As palmeiras das árvores

Fincadas

Firmes

Na terra.

Eu te amo docemente

Como a inocência

Da criança que enlaça

O pescoço no abraço

Sem horário,

Compromisso,

Ou dia determinado.

Eu te amo na concretização

De gestos,

Na confirmação sublime

Dos sentimentos,

Na doçura

Das palavras,

No exercício diário

Do perdão!

(Fatima Soares Rodrigues)

POR UM LEVE TOQUE TEU

POR UM LEVE TOQUE TEU



Quando o calor do toque meu

E a pele do corpo teu

Resolvem se encontrar

Parece que amanheceu

A experiência é única

Mesmo sem enxergar


Mas se a pele do corpo teu

Repele o toque meu

Só pra me provocar

Meu Amor, juro por Deus

Me sinto a enxergar


Meu amor, juro por Deus

Que o vago dos olhos meus

Não pode avistar

Quero o opaco dos olhos meus

No escuro dos olhos teus

Sem luz sinto tudo clarear


Por um leve toque teu

Eu sinto o calor

Que não precisa olhar

Que para poder te ver

Preciso te tocar.

(Rodrigo de Ávila)

RETRATO

RETRATO




Conto-te da alegria

que contagia meus olhos

ao sentirem-se invadidos,

possuídos pelo retrato

dos teus, azuis que desato,

mesmo longe que estes se vão



Despedidas das tuas mãos

as minhas ainda mentem

aos vãos. Sentem-se agarradas

mesmo que não suportem

a tua ausência,

carência infinda dos elos

das tórridas correntes.

(Carlos Roberto Ferriani)

terça-feira, 27 de setembro de 2011

CUMPLICIDADE DO OLHAR


CUMPLICIDADE DO OLHAR


Aos meus

Aos seus

Aos nossos olhos


Seria seu o meu olhar?

Seria meu o seu olhar?

Prefiro seja nosso


Sendo nosso,

Seriam cúmplices

Seriam alegres

Seriam ingênuos

Imagine...

Teríamos

Olhares cúmplices

Olhares alegres

Olhares ingênuos

Seríamos

Cúmplices de nossos olhares

Alegres por nos olharmos

Ingênuos pela cumplicidade d'um olhar alegre

(Gilberto Lyrio)

SEUS OLHOS MEUS DIADEMAS

Seus olhos meus diademas


Constelações híbridas de poemas

Torceduras das páginas do rosto Descosturas das linhas da alma

reviradas em tantas que

não

se

conseguem mais lineares ou

visív.....

(Juliana Berlim)

É CLARO QUE A VIDA É BOA

É CLARO QUE A VIDA É BOA


A vida é boa primeiro porque a gente tem bastante saúde para brincar, estudar, viajar e também porque todo mundo tem direito à vida por isso não podemos estragá-la bebendo, fumando ou usando drogas.

A vida é boa porque podemos nos divertir em parques, ir ao cinema, na praia, visitar os familiares e amigos.

A vida é boa porque temos uma casa, uma boa alimentação e nossa família, que é tudo para nós.

A vida é boa porque estamos estudando e buscando uma boa educação porque a educação é fundamental para nós, principalmente no convívio com outras pessoas.

A vida é boa porque respeitamos a nossa família a todos a nossa volta, sabemos que temos direitos e deveres e procuramos cumprir a todos.

A vida pode ser boa ou ruim, escolhemos a vida boa, porque vivemos com amor e alegria, afinal a vida é bela, a vida é linda!

(alunos do 5. ano, E. M. Odette Fonseca)

FIFI

FIFI


O olhar de minha gata

diz-me coisas que

não consigo alcançar.

O que será querem me dizer

as radiações que fluem

do negror daquelas íris?

A voz da felina também

não é um simples miado,

e isso eu penso entender.

Mas o olhar de Fifi...

O que será querem me dizer

aqueles olhos quando

encontram os meus?

Ah, sei lá! Sei lá!

O que vale é que,

no simbiótico lume,

sempre acabo me perdendo

num enleio de ronronares

e carícias mútuas

que cantam o mistério

dos amores inefáveis.

(Nilton Silveira)

OLHAR DE SUSTO

OLHAR DE SUSTO


Meu maior segredo?

É que eu tinha medo

De não saber te amar

No seu olhar de susto

E aquele caminhar

Que o vento já beijou

Na luz do meu olhar

Precipitou a paixão

Em ondas de desejo

Um beijo velejou certeiro

E o susto se desfez

(Roberta Munhoz)

OLHOS MÁGICOS

OLHOS MÁGICOS


Que magia estes olhos têm

Que encarcera o meu olhar

Reclama atenção e bajular

E, vigilante, faz dele refém

A boca circunda tal sorriso

Que convida e que arreda

Que me inflama e arqueja

Enquadra a tela do paraíso

As mãos que não me tocam

A pele branca que não sinto

O desejar que não desminto

Que o ar e aroma provocam

E essa sensação inacabada

De frase, palavra mal dita

Entre aspas de crase aflita

Uma precipitação vedada

E o toque do teu caminhar

No contratempo do sonho

Ilusão a que me proponho

Viver só para te ver passar

(Nando São Luiz)

O MEDO

O MEDO


No princípio, quando eu te vi pela primeira vez,

tive medo de teu olhar diagonal,

de tua voz mansa,

de tuas pernas longas, lentas e lindas.

Depois, tive medo de tuas palavras,

tão poucas, porém tão infindas,

e medo mesmo do teu silêncio.

Medo depois eu tive de ficar contigo.

Já cansado de ter medo da vida,

criei coragem de não ter mais medo,

coragem que plantaste em mim

quando tu mesma não tinhas coragem.

Aos poucos, tudo o que era medo

foi virando assim coragem

trajada de desejo: olhar-te, ouvir-te, tocar-te...

Hoje, cego de te ver,

louco por te ouvir,

ferido de sentir-te

e com a língua tropeçando no teu nome,

tenho todas as coragens que me levam a ti.

Mas carrego ainda um medo. Um novo medo:

não és minha ainda, mas já morro de medo de perder-te.

(Robervãnio Luciano)

QUANDO A LUZ DOS OLHOS TEUS

QUANDO A LUZ DOS OLHOS TEUS


e a luz dos olhos meus

resolvem se encontrar ...

Ainda não sei sonhar

Temo ao brilho deste olhar

Tento criar o desapego

Ai que frio que me dá

E assim, eu me perco

nas minhas vontades

Teu corpo, o brinquedo

que eu mais gosto de

brincar.

Quando a luz dos olhos teus

E a luz dos olhos meus resolvem se encontrar

Me sinto úmido. Um fogo ardente...

Uma vontade latejante ascendente

Crio a engenharia da nossa orgia

Desenho toda a nossa nudez

Programo o seu libido

Seu corpo se abre ao nosso estio

A cada uma por sua vez

Nossos corpos, eles sim

ocupam o mesmo lugar no espaço

e se ti fiz mulher, agora desfaço

e do homem, se algo sobrou

o amor eternizou!

Do ápice de todo o prazer

ao término do tremer...

de suas pernas.

Passei a sonhar-te

Imaginei de onde viria

Memória vazia

Abri portas d'ouro

Gritei no teu vazio

Sou um deserdado

Abri portas d'ouro

Em teu corpo me orgio

Ele se mantém calado

Uma lágrima,um fio

Eu sorrio, uma lástima

A poeira que se rompe

Um olhar que se abre

quando a luz dos olhos teus

e a luz dos olhos meus resolvem se encontrar

Quando a luz do teu olhar

Mira meu castelo

Desfaz meu quebra-cabeças

Quando a luz do teu olhar

Ela se apaga

Tudo se putrefaz

Quando a luz do teu olhar

Derrama lágrimas

Que medo que me dá.

Quando a luz do teu olhar

Ela me desejas...

Façamos sexo

Quando a luz dos olhos teus

E a luz dos olhos meus

Resolvem se encontrar

É o vicio a me tentar

(Marcos Gessinger)

AMOR MADURO

AMOR MADURO


- Dizer que só amor serei, eu poderia.

- Respeito. Só não serei ódio, porém.

- Mas amor é ausência de ira!

- É desconhecer o ódio também.

- Por que conhecer o que não tem valia?

Para quem está morto, pode cair bem.

- Já que sentirá o ódio, o vivo...

Ele aparecerá pelo caminho.

- Supões, ele aparecerá em mim. Como?

- O amigo não ilude; sim, é certo.

- Muito que bem, como não tramo, eu só amo,

Ele secará; não poderá comigo.

- Só se você conhecê-lo no íntimo.

- E que quer meu salvador dizer com isso?

- Só perceber que ele está em você.

- Decerto o amigo nada vê.

- Se alterando você está, ora.

Será que sou o amor e tu, discurso?

- Eu sou o amor; não roube minha fala.

- Finalmente pode perceber o ódio.

- Enfim percebi, você me desculpa?

- Então se aproxime; não te culpo.

O bem vê o amor montanhas movendo,

O ódio as cortando e com elas brincando.

(Mario Manhaes Mosso)

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

A DANÇA DO OLHAR

A DANÇA DO OLHAR


Na dança do olhar

Roda a roda da vida

E a roda da lida

Roda amar

No olho que olha

A dança do olhar

Ensaia passos

Quer se casar

Casamento de olhar

É primeiro namorar

Pra depois se aninhar

E na contradança do olhar

O outro a enviesar

Faz fogueira crepitar

No coração do olhar

E quando os passos a dançar

Na dança do olhar

Encontram-se...

Ai, meu Deus!

Resta-me casar

E por amor bailar.

(Suerdes Viana)

O MOMENTO DOCE DA LUXÚRIA

O MOMENTO DOCE DA LUXÚRIA


“Quando a luz dos olhos meus

e a luz dos olhos seus resolvem”

se apagar...

é o momento em que eles se fecham

para transbordar um cálice de noite

naquilo que é dia

para perder uma gota de dia

naquilo que é noite de mar

é o momento em que eles se fecham

para fundir

quatro lábios

e confundir

o calor e o frio

sussurrar estrelas de dia

ser ao mesmo tempo selvagem e gentil.

“Quando a luz dos olhos meus

e a luz dos olhos seus resolvem se encontrar”

é o momento em que a luxúria passou

vulcão e larva se derramaram mutuamente

para, enfim, nesse doce encontrar —

como mar e praia

como terra e céu

como dia e noite

simplesmente, muito mais que eternamente, amar.

(Elias Araujo)

A UM SER CANTANTE

A UM SER CANTANTE


Eu já havia escolhido as palavras

E definido todas as rimas

Amor, amar, sentir, gostar

Mas palavras e rimas não resolveram

Preparei uma música

Escolhi os versos e a melodia

Dó, ré, mi, fá, sol, si, lá

E canções também não bastaram

Imagine quantas vezes tentei

Escrever, descrever, transcrever, subscrever

O que sinto com afinco por você

Mas não houve palavras

Nem notas suficientes

Não sei como te faço saber

Que as coisas mais belas aprendi com você

Que o teu sorriso é o brilho do meu olhar

Que o teu sonho me fez sonhar

Como o mundo vai saber?

Que é tua voz que torna azuis os dias

Azuis de azul-alegria

Como o azul-amor do teu olhar

Como os corações vão entender

Que eu inventei mil cores para ver você?

Que eu inventei as formas de te encontrar

A qualquer hora, em qualquer lugar

Senti a estranha agonia

De ter as palavras, o amor e a poesia

Mas não ter a medida pra mensurar.

(Alana Regina)

" CONFEITARIA "

" CONFEITARIA "


QUANDO alardearam que meu amado iria chegar

Não pude mensurar minha emoção, qual ela fosse...

Mas, ao vê-lo, ofuscou-me o sonho do seu olhar:

Jamais vi dois brilhantes tão belos, algodão doce!

A LUZ - que por ser divina é diáfana e abstrata -

do teu ser é o retrato do amor! Onírico arremate

deu-te vida. O seu encanto, bruma que arrebata,

atira-me à dulcífico abismo: mousse de chocolate!

DOS OLHOS MEUS enxergo teu presente idealizado.

Nada mais carece ser visto pois tu chegastes, assim.

O que nos trará o amanhã? O que legou o passado?

As flores do futuro serão douradas, como quindim!

E A LUZ DOS OLHOS TEUS a cintilar amor verdadeiro!

Abraça-me a ave da ternura, promessa maior não há.

É amor demais, é felicidade seres meu companheiro.

A Deus eu agradeço por tudo. Sorvete de maracujá!

RESOLVEM SE ENCONTRAR almas-gêmeas, fato estelar.

Há de se fazer juz ao imortal poeta e seu belo estribilho:

"Quando a luz dos olhos meus e a luz dos olhos teus resolvem se encontrar"

Só não é mais gostoso falar, do que comer... curau de milho!

(Carmen Cardin)

UMA VALSA EM TONS DE BLUES


UMA VALSA EM TONS DE BLUES

Teus olhos nos meus...

São liras do céu

Carícias do mel

Favores de Deus...

Meus olhos nos teus...

Têm gosto de mar

Sabor de luar

São Hera e Zeus...

Em nosso encontro

Não existe adeus:

Meus olhos veem nos teus

Teus olhos veem nos meus.

Dois espelhos sorrindo luz:

São reflexos de fantasia

Nosso aroma de poesia

Uma valsa em tons de blues.

(Cris Dakinis)

CANÇÃO DO AMOR QUE NÃO VEM

CANÇÃO DO AMOR QUE NÃO VEM


Mas escreve para essa menina

Em noite de luar e para ninguém

Diz ele: Estes teus olhos me iluminam

Grande paixão, insensatez

Menina das duas tranças, morena flor

Te peço em tom cortês

Para viver, comigo, esse grande amor

Quando a noite me entende

Em sonho, quando tu passas por mim

Ao abrir os olhos, contente

Um desalento sem fim

Você não estar aqui, não estou te vendo

Saudade de amar, saudade que dá

Que abrando te escrevendo

Repetindo na carta que sei que vou te amar

Assim que meus olhos puderem nos teus olhar

O meu abraço com o teu formar um corpo

As minhas mãos nas tuas entrelaçar

Poder sentir o teu perfume de novo

Ouvindo o canto de oxum e declamando Vinicius

Te peço em casamento e volto a morar perto

Ofereço melancia e coco verde, de início

E que se dane o resto!

(Carla Patricia de Brito)

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

MENINA DOS OLHOS INCOMPREENDIDOS

MENINA DOS OLHOS INCOMPREENDIDOS


Olhos como o céu

Olhos como os seus

Em que paro e reparo

Olho o óleo dos seus olhos

Algo tão doce como algodão doce

Comum como um homem só

Um homem só

Não dois.

Em palavras mal ditas

E letras malditas

Não sei se te amo

Ou se temo

Mas preste atenção.

Pois muita gente não presta

Enquanto alguns pedem paz

Outros perdem a paciência

Agora falo claro de seus olhos claros

Olhos únicos como unicórnio ou beija flor

Que o fardo de não falar fique para os mortos

Pois cito seu nome, só pra falar de amor

Em apelos pelos versos

Sejam de lado ou de frente

Dizendo verdades ou heresias

Há quem ainda tente...

Decifrar a parte fácil da poesia

Mas novamente preste atenção

Pois muita gente não presta:

Não de comida aos macacos

Pise na grama

Só palavras não curam

Me ame se quiser

Sobreviva se puder

Morrer é fácil

Viver é difícil

Amor não é opção

Muita gente não presta

Será que alguém presta atenção?

Escrevo pra passar o tempo

Escrevo só por escrever

Escrevo sem saber

Escrevo...

Palavras que só eu sei ler.

(Arth Silva)

OLHAR


OLHAR

É no piscar do amor

Nesse singelo segundo – brevidade de escuridão

Que todas as visões

De uma vida inteira de olhares

Tornam todos os sentimentos visíveis – eternidade da iluminação

Como se a luz de nossos olhares

De olhos fechados

Iluminassem

Nossos abertos corações

(Andre kondo)

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR...

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR...


É o quando, da minha melhor sensação,

vai de realidade a emoção, num piscar!

Não se fala, tudo é só visto, visto de clarão incandescente

A prova dos sentidos, da absoluta ternura

A forma do absurdo

O que o coração escondia

Os olhos agora entregam, quando se pegam intactos

Silêncio! Fala, grita, escancara a garganta

Luz minha, luz tua, encontrou, virou uma!

O frio é só por dentro

Essas entradas são as melhores saídas

Multiplica-se agora, dividindo...

O chamado AMOR!

(Liliane Martins)

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR...

QUANDO A LUZ DOS OLHOS MEUS E A LUZ DOS OLHOS TEUS RESOLVEM SE ENCONTRAR...


Vejo nítido vidrado o brilho do amar

Essa luz que dirige,

Luz que fixa a minha

No olhar sinto o inteiro do amor

Essa artífice janela ao interior teima em me fazer pular

Teu ver cúmplice, me segura

E o meu ver, por justo, retribui

Seguros estamos nas janelas da luz dos nossos olhos

Viciados, emanamo-nos amor

O restante dos sentimentos

Vira opção quase que esquecida

É amor demais...

Demais o bastante pra aclarar todo o resto

Demais pra transitar de lá pra cá, de cá pra lá, naturalmente!

Demais pra guiar o nosso olhar

E abrir as janelas e conduzir...

E ao chegar poder dizer seguro de si: encontrei!

(Murilo Melo)

OLHOS QUE RESPONDEM

OLHOS QUE RESPONDEM




Se tu soubesses da grande importância

do teu olhar na minha direção,

tu me olharias, qual fosse a distância,

presenteando, assim, meu coração.


Acorrentando-me, sem relutância,

teus olhos lindos são minha prisão

e a ti revelo ter minh’alma em ânsia,

que brota em versos: forte inspiração.


Vou te escrevendo, então, tudo o que sinto,

pura afeição que é última, pressinto,

reconhecendo o tempo escasso, o fim...


Se nada peço e permaneces quieto,

se te perturbo com este meu afeto,

quando me olhas, tu me dizes: - “SIM”!

(Lucilia Barenco)

ENAMORADA PELO TEU OLHAR

ENAMORADA PELO TEU OLHAR


Numa noite de verão,

Tendo a lua como cenário,

Nossos olhares se cruzaram.

A luz dos olhos teus

Flertou com a menina dos olhos meus

O arrepio se fez presente,

O coração bateu mais forte,

E a alegria inundou-me de prazer.

Deixei fluir a energia que emanava desse olhar

Banhada por tanta luz

Acreditei que a sorte me favorecia

Mas o amor tem seus mistérios

Que a própria razão desconhece.

Sonhei que um simples olhar

Apagaria a ferida

De um antigo amor que não deu certo. Mas se de fato a luz do teu olhar

Resolve desse jeito me fitar

É sinal de que nem tudo está perdido

E a sorte está comigo.

Mas se a luz dos olhos meus,

Por medo da luz dos olhos teus,

Resolve se afastar

Meu amor, não duvide,

Hei de te encontrar!

Pela tua insistência, amor!

Vejo que a força do teu olhar

Tem o poder de me desnudar.

Preciso aprender a olhar mais fundo nos olhos teus

E enxergar que sempre vale à pena acreditar no amor.

(Ana Maria Pereira)

DO QUE ME LEMBRO...

DO QUE ME LEMBRO...


(além do “poetinha”)

Sei que dias tristes foram muitos

mas nada sei dos dias tristes

porque vivi um dia de enlevo...

é deste que me lembro!

Sei que noites vazias foram muitas

mas nada sei das noites vazias

porque tive uma noite de ternura...

é desta que me lembro!

Sei que amores efêmeros foram muitos

mas nada sei dos amores efêmeros

porque provei de um amor na plenitude...

é deste que me lembro!

Sei que olhares sombrios foram muitos

mas nada sei dos olhares sombrios

porque encontrei a luz dos olhos teus...

é dela que me lembro!

(Conrado Amstalden)

SE FINDO FOGO FAZ FRIO

SE FINDO FOGO FAZ FRIO


(que frio que me dá)

quando vejo no olhar da lua

o brilho da íris cheia refletida

no mar de cílios negros me perco

e nas lágrimas dos nossos beijos

me acho perdida

ao ouvir o crepitar dos desejos

à meia luz, no quarto, nos seios

da face rubra dos tintos vinhos,

vou despida na taça, espelho,

me sinto sorvida

reverbera da pupila acesa

o som dos afagos e hálitos se

os olhos nos olhos desabam

as chamas de velas amadas

me faço flambada

(me sinto incendiar)

(Rômulo César)

ENCONTRO DOS DEUSES

ENCONTRO DOS DEUSES


A luz dos olhos meus

Quando se encontra com a dos teus

Brilham fantasias

Dissolvem-se medos

Faíscam desejos

Brindam Poesia

Eros e Afrodite

Furtam-se

Dos dedos de Dionísio

Sonham despertos

Os desertos

Recôndidos do Deusamor

Ferve(m) nas veias

Vermelho-quente

Sangue vivo

E dos olhos o brilho

Fagulha fogos

de artifício

o brilho rebrilha agonias

não resiste, aceita solene

dos deusesamores o doce convite

(Jussára Godinho)

DI_AMANTE

DI_AMANTE


Não pela polidez dos olhos teus

mas pela força bruta que ficou cravada

é que permito,

embaço

e risco o vidro

...em silêncio e

no escuro

escondido...

E deixo, para você, este brilho diamante

(Michele Macedo Moraes)

PRIVAR- ME DESENCANTO

PRIVAR- ME DESENCANTO


Era tão importante você em mim,

Apenas em mim você vai embora

Somente tu que esperei, me deixou sozinho,

Eu precisei de ti,

Vou embora, o meu desencanto.

Sombras levando me pra longe,

Carvalhos sobre a lua

Teus braços eu a pensar

Segure minhas mãos gélidas,

Meu acalento.

Reviva meu viver da solidão

E cale os rumores, o mundo que vivo só.

Foi muito tempo meu ser,

Sofrido em cantos tristes mais em mim

Mais em mim privar me o corpo.

A minha aliança trespassando meus braços

E teus ombros fardados a me encorajar.

O sol está brilhando lá fora

Seu refúgio, meus tristes ombros.

Repara meu angustiado olhar

Pareces te ó vampiro, morder me os pulsos

Seu barbear.

(Alex José dos Anjos)

Para Vinícius de Moraes

Para Vinícius de Moraes



Passam-se os anos

E continua vivo o esteta.

Amores, desilusões, desenganos

São rimas, nos versos do poeta.



Das letras, a poesia

Dos amores, o tema

Das noites, a boemia

Dos lugares, Ipanema.



Pela vida bem viveu

Descreveu com simplicidade

O mundo que era seu

Encantando o mundo de verdade.



É, "Vinícius é plural"

Como alguém já havia dito

E como foi natural

Ao deixar o amor descrito.



Sua ausência física é sentida

Por todos que amam a arte

Mas seus versos, por si, têm vida

E trazem-no em toda parte.



A luz dos olhos meus

E a luz dos olhos teus

Brilham em efusiva alegria

Ao homenagearmos Vinícius e sua poesia.



Como diz a canção

Que a ele sempre lembrará

Dos poetas, emoção:

"Vini, meu velho, saravá!"

 
(Rogério Vinicius Borges)

AMOR DE POETINHA

AMOR DE POETINHA







― Menino Vinicius,


Por que a pressa?


Aonde vais?





― Com licença, meu senhor,


Vou atrás do grande Amor.






― E quem é essa,


Cuja magia te seduz,


Não permitindo esperar?





― Ah, ela é dona de uma luz


Que me faz incendiar.


O seu nome é Poesia


E cativou-me com um olhar.

(Edweine Loureiro da Silva)

O JEITO DA POESIA

O JEITO DA POESIA




Olha para a fonte

e bebe do seu pensar

Fala de dentro pra fora

do amor, da dor e do prazer

Enxuga as lágrimas em sorrisos abertos

Que voam livres nos espaços breves

De suspiros que trazem saudades

Na brevidade do encanto que pode enganar

Como um elixir que não embriaga, mas extasia

Que bebo sonhando quando me vejo aquecido

Por mãos que se unen a me guiar

Com caricias nos labirintos e abismos do encantamento teu

Pensamentos iguais a mãos que se unem

E dão sustento ao que tento praticar

Por amor eterno amor, como é bom imaginar-te

Amiga


(Paulo Roberto Giolli)


sexta-feira, 16 de setembro de 2011

O OMBRO

O OMBRO


Não fica assim.

Quero sim pegar em tuas mãos.

Só um pouco. Sou louco ?

Desejo que nossos corações pulsem na mesma direção.

Viemos de caminhos distintos

vinho branco em taça de tinto, plebeu em jantar à luz de vela

e tu, tão bela, no baile sem fim a girar, a girar, a girar...

Por isso que não quero que acabemos assim.

Tenha calma. Escuta-me.

Dei minha alma; sei que errei.

Pulsei minhas veias sob tua pele e como pulsei.

Deveria apenas entregar meu ombro a ti

para que pudesse sonhar, chorar, espernear, se libertar de ti, de mim, de nós.

Escuto muitas vezes apenas minha voz

sob o mesmo teto, sentados em sofás opostos.

Como intenção de afeto estou disposto

a esquecer nossos defeitos desconsiderações traições.

Reflita: conflitos sempre existirão.

Admita: somos cúmplices em nossa relação.

Turbilhão de carinhos, anseios, realizações e devaneios.

Quer me condenar pela luz dos olhos meus ?

Permito.

Permita então que mergulhe na luz dos olhos teus.

Mesmo que nunca se encontrem dentro do abismo do oceano

com o passar da maré, dos anos, trocando rimas, palavras e versos

em vão.

Mesmo que sejamos feixes paralelos na imensidão de luzes no universo

Enquanto dure.

(Paulo Mauá)

OLHOS DE LUZ

OLHOS DE LUZ.


É pela luz dos meus olhos,

Que vejo o reluzir do teu olhar,

Que bom meu Deus eu posso sonhar,

Pois encontrei um intimo amor,

E é quando começo a me arrepiar,

Porque sei que receberei calor,



Mas então vens provocante,

Cheia de uma presença marcante,

Como labaredas incandescentes,

Seus olhos sempre estão contentes,

Está sempre presente em espírito,

Então a ínfimo amor faço um Inquérito,



Pois nada é pequeno em ti,

Com tanta luz não posso me desesperar,

Mas sei com certeza que quero te amar,

A luz dos teus olhos me promove paz,

Um frio que dá, mas amor também me traz,

Reflexo pela luz aos meus olhos também faz.

(Paulo Henrique Fernandez)

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

PREÇO DA SOLIDÃO

PREÇO DA SOLIDÃO.


A solidão nos dá medo,
Medo de não ter ninguém;


A solidão nos da dor,
Dor de não ter o que nunca
Conquistou;


A solidão nos trás,
Trás indignação por
Não conseguir o que
Queremos;


A solidão nos mostra,
Mostra como é difícil
Viver em um mundo
Sem alguém ao seu lado.

(André Luiz Moura de Lima)

ESMERALDA, UMA ESMERALDA

ESMERALDA, UMA ESMERALDA.

Esmeralda, os olhos teus
Com o mel dos meus.
No ouro e no favo
Me afago...
Aquecendo-me
No fogo seu...
Inerentes, eternamente!
Reluzentes, brilhantes...
Dê-se louvor!
A quem sobrevive
Expelindo amor!

(Edilson Leão)

ELETRICISMO

ELETRICISMO

Abandonei a caixa de ferramentas
E, com ela, alicate, chave de fenda,
Cabos, extensões ou benjamins.

Venha, beija-me assim.

Abandonei também
Multímetro, amperímetro,
Voltímetro, wattímetro.

Veja, sinta com o pulsímetro!

Envolve todo o meu perímetro,
Milímetro por centímetro.
Aprovado até pelo Inmetro!

Não preciso instalar disjuntor, interruptor,
Nem conectar fios
Ou acionar a tecla da tomada.

Energia radiante, acumulada.

Para acender a luz do meu olhar,
E de todos os meus outros cômodos,
Basta simplesmente
Os seus olhos os meus encontrar.

Que corrente, que tensão,
Que potência luminosa!

Acende tudo em mim,
Reacende até o coração.

(Geraldo Trombin)

SEU OLHAR

SEU OLHAR

Esse seu olhar

Que me faz te enxergar

E cada vez mais te amar

Me conquista, me alucina

Seu jeito de menina

Me alegra, me ilumina.

Seu olhar acastanhado

Me faz sorrir

Me deixa apaixonado

Deixa-me emocionado

Pois seu olhar

Também maduro e assentado

Me transmite o seu amor.

Sua linda energia

Me fascinando a cada dia

Seu olho no meu olho

Nossa janela da alma

Que me une para sempre a você

Quando a luz dos meus olhos

Se unem aos seus

E resolvem se encontrar, se amar...

(Marcelo de Oliveira Souza)

SONETO QUE SIGILO

SONETO QUE SIGILO



Olhar tal o teu faz-me emudecer,

Cerra minha boca, encerra essa prece.

Que diriam os olhos teus se houvesse

Frase muda quão lindo alvorecer?



Pureza astral em olhos de embeber –

Lindo senhor de semblante celeste

Abate estrelas na luz que amanheces,

Flor que é mais gentil tal próprio buquê!



Cintilas nobre senhor que vigilo

Enquanto se afoga palavra inerte,

Descanso meu soneto que sigilo –



Se calar-me, então, é modo de dizer-te,

Solitário a contemplar, silencio...

Quero que ouças o gritar de meu flerte!

(Alex Fabiano Cortilio)

LITTLE PRECIOUS GIRL (GAROTINHA)

LITTLE PRECIOUS GIRL
(garotinha)

morena
como os pingos da chuva
cabelos castanho-escuros
boquinha de lábios carnudos
precocezinha também
nisso e na arte da escrita
os textos que dela provém
não trazem os subterfúgios
que aos adultos convém
seus olhos acesos, miúdos
me olham e me beijam, porém
me falam de alguns absurdos
que me conduzem pro além
além de mim mesmo, do mundo
além da emoção, da paixão,
além de dizer que, meu bem,
você é a doce Belalu
e a réplica ainda me VEM
porém, não mais a little girl
mas a total woman ou quem
vai me carregar em seus braços
como se eu fosse um neném
ou como se eu fosse o brinquedo
que a Belalu diz que não tem

(Aluizio Moraes de Rezende)

MEUS OLHOS

MEUS OLHOS

Uma combinação perfeita
E o mundo revela mais um segredo.
Volta tudo a ser superado
E a beleza me escorre pelo olhos.
Nem sei o que fazer com ela
Minha parte humana se massacra por seus limites
E só há lugar para o divino.
E volto a saber
Que é inútil explicações
Volto a saber que palavras
São tão meninas!
E que a beleza escorre pelos olhos.
Volto a saber que nada além dos meus olhos
E meus ouvidos me farão realizada.
E não importa as tão meninas opiniões.
Toda a beleza do mundo esta comigo,
Diante de mim,
No recluso de minha solidão
Numa combinação perfeita.
E eu nem sei o que fazer
Eu só sei sentir
E não sei onde isto me levará
Mas eu agora nem quero chegar a lugar algum,
Eu só preciso ficar aqui
A apreciar, o mundo que parece me servir
Extasiada!
Meu olhos vêem a música
E toda a poesia do mundo.
Lá estar o amor,
mas esta palavra é tímida
diante do que vêem meus olhos.
O brilho que canta imóvel!
Para onde com tudo isto?
Encerro com pretensões
E volto a sentir
Os olhos que já se foram!

(Bárbara Soares Pinheiro Souza)

AMOR DEMAIS

AMOR DEMAIS

por um instante
minhas pernas tremem
perdem as forças
meus olhos turvam
toda luz se apaga
e eu desabo

para no instante seguinte
meu céu encher-se de estrelas
faíscas
raios
fogos de artifício...

por quê?
como?
quando?
- vocês hão de perguntar-
quando a luz dos olhos meus
e a luz dos olhos teus resolvem se encontrar...

(Angela Maria Carrocino)

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

O BRILHO DOS SEUS OLHOS

Os meus olhos

Tristes estavam

Porque a solidão

No meu coração morava.

Mas, certo dia,

Os meus olhos

Encontraram os teus

Que também

Outros olhos procuravam.

Os olhos meus

Alegraram-se

Visivelmente,

Porque encontraram

Os teus ...

Naquele momento

O brilho dos olhos teus

Tornou-se mais ofuscante,

Brilhante...

Radiante!

E com os olhares

Nossos seres

Se encontraram.

Nossos corpos se tocaram,

E se enamoraram.

Os olhos meus

Nunca mais se desviaram

Da luz dos olhos teus.

E o meu coração

Encheu-se de paixão.

Os nossos olhos...

Brilham e se admiram.

Nossos lábios se tocam,

Nossos corpos se abraçam,

Nossas vidas se completam.

A luz dos teus olhos

Foi o caminho

Que os meus olhos seguiram

E encontraram os seus.

E tudo por o amor!

(Ruth Hellmann)

EU TE AMO TANTO

Eu te amo tanto!


Sem ti, não sobrevivo...

Cada dia sem te ver

torna-se uma página virada,

totalmente em branco,

nos capítulos da minha vida...

A esperança me invade a alma,

ao te encontrar,

quando nosso olhar se entrecruza...

Vislumbro o dia

em que teus lábios pronunciarão

as palavras doces

dos parágrafos mais felizes –

o happy end – do capítulo final,

de concretização do romance,

já iniciado

(pelo menos, por mim),

porém,

ainda, inacabado...

(Angela Guerra)

SETEMBRO NEGRO

SETEMBRO NEGRO


Rompia o céu à chuva cinza

Pretejando a alva alma

Cambaleando ia o pobre nu andando

Sem fala, afobado, porém com calma.

Os granizos negros quebravam os vidros

E as aves se precipitavam

Então, houve o medo do amanhã.

A esperança se prostituiu com a vergonha

E o corcunda sangrou solitário na calçada

Misturando maquiagem com a cinza chuva

E tudo se resumiu em gargalhadas.

Tempestuoso era o vento daquele mês

Que abalava a casa mal feita

A xepa podre dada na feira

Que o corcunda saboreava a beira.

Era setembro negro

Negro setembro

Cruzando o caminho da cruz

Finalmente morto, ele pode ver a luz.

Então Quando a luz dos olhos meus

E a luz dos olhos teus resolvem se encontrar

Tive a certeza de estar no céu.

(Guido Campos)