Organização: Catarina Maul
Assessoria: Cristina Scudeze



quinta-feira, 29 de setembro de 2011

A MAIOR SOLIDÃO É A DO SER QUE NÃO AMA

A MAIOR SOLIDÃO É A DO SER QUE NÃO AMA


Sem amor a vida fica triste

Cinza, incolor

O amanhã não tem graça

Uma doença sem doutor...

Nós nascemos sozinhos

Morremos só

O amanhã é irreal

O amor é fundamental

O mundo se acabando

Sentimentos, matando

Órfãos do calor

Ah, como é raro o amor

O amor, o romantismo

Desabrochada pelo repentino

A sensação do amor

É como o despertar de uma flor...

(Matheus Matos)

Um comentário:

  1. Que sopro fresco de sentimento...delícia de amor retratado!!

    ResponderExcluir

Comente... Nada melhor para um escritor do que ser lido.